A importância da manutenção preventiva para os automóveis

A importância da manutenção preventiva para os automóveis

A manutenção preventiva do automóvel evita surpresas desagradáveis causadas pelas falhas repentinas nas peças e, consequentemente, evita gastos que desequilibram todo o seu planejamento financeiro, afinal, a manutenção corretiva nunca sai barato. No momento atual mais do que nunca, a manutenção preventiva é indispensável para evitar complicações futuras bem graves nos veículos.

 

Manutenção preventiva do automóvel em tempos de quarentena

Quando o assunto é autocuidado, ouvimos muitas dicas para não negligenciarmos a própria saúde e para não deixarmos de nos exercitar durante o período de quarentena. Isso porque, independente dos cuidados prévios e do bom condicionamento físico, até o corpo humano começa a apresentar falhas se ficar parado por muito tempo. Agora imagina o seu automóvel!

Por serem máquinas criadas para a locomoção constante, os veículos apresentam cada vez mais casos de mau funcionamento da bateria e do motor após um longo tempo na garagem, devido aos seis meses de quarentena, especialmente nas grandes cidades. Essa falha é seguida por problemas relacionados ao óleo, combustível, pneus e rodas.

Para garantir sua segurança, é imprescindível realizar uma manutenção preventiva completa antes de voltar a utilizar o veículo, afinal, caso alguma peça tenha dado pane após o tempo que ele passou na garagem, é melhor descobrir antes de pegar uma estrada, não é mesmo?

 

Por que realizar a manutenção preventiva do automóvel?

O motivo principal para realizar a manutenção preventiva do automóvel periodicamente é a segurança. Às vezes o veículo demonstra os sintomas, como um alerta de que alguma coisa está errada em alguma das peças ou componentes, mas às vezes não é possível identificar o problema até que seja tarde demais.

Não podemos esquecer que as peças automotivas tem um prazo de validade e fatores internos e externos podem influenciar em seu funcionamento e vida útil. Garantir que todas as peças estão funcionando corretamente evita danos ao veículo e até acidentes graves.

O segundo motivo é financeiro, já que é comum que uma peça danificada ou que tenha chegado ao fim de sua vida útil cause problemas em todo o sistema automotivo e comece a danificar até componentes novos e perfeitos. Caso a peça que apresenta falha seja reparada ou substituída a tempo, você economiza o alto valor que seria gasto com a manutenção corretiva de todo o veículo.

O que deve ser avaliado na manutenção preventiva do automóvel?

O ideal é que a cada 6 meses ou a cada 10 mil km rodados seja realizada a manutenção preventiva das peças mais importantes do automóvel, não sendo aconselhável deixar passar mais de um ano entre uma revisão geral e outra. Veículos que já são comprados com mais de 10 mil km rodados também devem passar por uma manutenção preventiva antes mesmo da primeira utilização.

As 8 peças a seguir devem ser revisadas com muito cuidado em todas as análises, pois garantem conforto e segurança aos usuários do veículo:

  • Freios: Garantem o controle e a segurança do automóvel. O freio é composto por pastilhas, discos, tambores, fluidos, entre outros, que devem ser revisados, no mínimo, a cada 10 mil km rodados.
  • Iluminação: Além de render multas, falhas na iluminação veicular, como lanternas, piscas, faróis, luzes de ré e de freio podem causar acidentes.
  • Ar condicionado: Se já era importante garantir um ar puro e livre de vírus e bactérias antes, agora é essencial. Os filtros de ar devem ser revisados, no mínimo, a cada 6 meses para garantir a segurança dos usuários.
  • Velas: São as responsáveis por gerar energia para o motor funcionar. Mesmo que a troca das velas não seja tão frequente, é importante sempre incluí-las nas revisões, já que raramente apresentam sintomas das falhas.
  • Suspensão: Mantém a estabilidade do automóvel e suaviza os impactos do solo imperfeito, garantindo maior conforto.
  • Óleo: A lubrificação ideal prolonga o tempo de vida do motor, reduz a temperatura e o atrito entre as peças. A troca de óleo deve ser realizada com produtos de qualidade e, no mínimo, a cada 10 mil km percorridos.
  • Embreagem: Embora não precisa ser trocada com muita frequência, a funcionalidade da embreagem precisa ser garantida para evitar falhas na ligação entre o motor e o sistema de transmissão quando o carro está em movimento.
  • Pneus e rodas: O alinhamento e balanceamento dessas peças deve ser realizado a cada 10 mil km rodados para evitar acidentes e desconfortos na direção.

E aí, a manutenção preventiva do seu carro está em dia? Garanta que suas peças automotivas sejam da melhor qualidade e estejam em perfeitas condições. Priorize o conforto e segurança com economia!

About The Author

COPBOR Solução em Peças Automotivas

No Comments

Leave a Reply

Recuperação das autopeças e do setor automotivo pós-covidFaturamento das autopeças cresce desde julho